Álbum Duplo, o livro de poesias de Fabiana Cozza

Outras vozes

Com versos assinados por duas “personas”, Euzébia Santos e Marta Gonzales, ambas extensões de sua alma criativa, a cantora e compositora Fabiana Cozza publica Álbum duplo, seu primeiro livro de poesias

*Matéria  publicada na revista Vila Cultural 164 (dezembro/2017).

Foto Kriz Knack/Divulgação

A cantora Fabiana Cozza autografa dia 12 de dezembro, a partir das 19h, na loja da Fradique, o livro de poemas Álbum duplo, que além de marcar sua estreia na poesia também traz a público a atuação de uma nova editora, a Pedra Papel Tesoura, criada pelo poeta mineiro Bruno Brum.

“Dividido em duas vozes, Álbum duplo nos apresenta as palavras das poetas Euzébia Santos e Marta Gonzales, ambas extensões da alma da cantora. Euzébia é o lado mineiro de Fabiana, ressaltado por uma poética mais interiorana, das coisas simples, das ‘sombras distraídas’, das brasas e das saudades. Uma ancestralidade que pulsa em cada canto/linha. Marta já traz o tom mais passional, latino, urbano, que sente mais para fora do que para dentro, é aquela que escreve em um espanhol caliente e ferido”, explica o escritor Marcelino Freire no texto de divulgação do livro.
Para o cantor e compositor Chico César, que assina a apresentação de Álbum duplo, “trata-se de escrita apaixonada num rito profundo de controle sobre o que é dito, mas, principalmente, como é dito”. “Um samba toca nas entrelinhas: Fabiana sussurra uma melodia que mal escutamos. Mas é ela que nos embala e que, de súbito, nos lança para dentro e para fora de nós”, diz a escritora Noemi Jaffe na quarta capa do livro.

Reconhecida como intérprete, saudada por artistas como Maria Bethânia, Paulo César Pinheiro e Leny Andrade, vencedora do Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Cantora de Samba, Fabiana Cozza é daquelas artistas que dispensam rótulos ou limites criativos. “Não existe protocolo que me faça aproximar ou afastar de alguém, ainda mais num mundo em que as pessoas se aproximam ou se afastam em função de pré-conceitos. Eu, como tantos outros artistas, como tantas outras pessoas, vou na direção contrária. Eu quero me misturar. Talvez essa qualidade de mistura seja o que mais me conforte quando eu me reconheço como uma artista do Brasil”, disse à Vila Cultural.

 

LANÇAMENTO
Livro: Álbum duplo (Pedra Papel Tesoura), de Fabiana Cozza
Loja: Fradique
Quando: 12 de dezembro, às 19h